Como organizar a medicação de um idoso

Juliana Teixeira da Silva*

 

As pessoas estão vivendo cada vez mais e o envelhecimento é um fato. Frequentemente, surgem doenças crônicas, às vezes, incapacitantes,

aumentando a dependência por parte dos idosos. Ao mesmo tempo, existe uma ampla gama de medicamentos prescritos para melhorar a qualidade de vida das pessoas que já se encontram em idade avançada.

Rotineiramente, muitos idosos tem que tomar vários medicamentos durante o dia. Não é raro pessoas que tomam de 5 a 10 medicamentos diferentes, em doses, frequência e horários diferentes.

Para um idoso que vive sozinho esta tarefa torna-se quase impossível de ser administrada, principalmente pelos déficits de memória e atenção muito comuns nesta faixa de idade. Eles podem tomar um medicamento mais vezes do que a prescrita bem como esquecer de tomar outros.

Além disso, a grande quantidade de informações de cada medicamento torna essa tarefa muito complicada para os idosos e mesmo para os familiares encarregados dos cuidados.

Muitas embalagens são similares quanto a formatos, cores e nomes. Isso sem falar na logística que exige um acompanhamento detalhado de cada item, dias, horários e doses a serem ministradas conforme a orientação do médico.

Para complicar, as prescrições são dinâmicas. No dia a dia, os medicamentos podem ser eliminados, substituídos, reduzidos ou novos poderão ser adicionados.

 

Faça um teste para sua memória: quantos medicamentos seu familiar idoso toma por dia?

Não é fácil administrar a quantidade, os horários e a prescrição corretamente sem falhar, não é mesmo? Aqui, na Casa de Repouso Viva Bem, as medicações de cada senhora residente ficam centralizadas e guardadas em caixas plásticas identificadas.

Um software especialmente desenvolvido controla, individualmente, o estoque de cada medicamento e a prescrição vigente na data. Cada dose ou comprimido é colocada em embalagem individual com as informações para a equipe de enfermagem contendo o nome da residente, o nome do medicamento e o horário em que deve ser ministrado.

Com esta tecnologia garantimos que todos os medicamentos são ministrados adequadamente e também com a flexibilidade para as substituições, suspensões, inclusões e todas as alterações indicadas pelo médico.

 

A importância de uma casa de repouso para idosos

Medicar corretamente o idoso é também cuidar. Nem sempre podemos dispor de nosso tempo para garantir o pleno cuidado que nossas mães ou parentes necessitam ou não possuímos infraestrutura adequada para oferecer a eles. Essa sensação traz grandes inseguranças e frustrações para toda a família ainda mais sabendo que cuidar da idosa não significa mantê-la em casa em qualquer circunstância.

Cuidar é oferecer a ela o melhor para sua saúde mental e física. Diante desse cenário, o sentimento que deve prevalecer essa decisão é o propósito sincero de encontrar a alternativa mais adequada e segura para todos os envolvidos e a escolha de um residencial para idosas pode ser uma ótima opção.

A principal contribuição que um residencial para idosas proporciona é a possibilidade de oferecer segurança a todos familiares, pois idosa querida desfrutará de todos os cuidados que necessita nesta fase da vida e, além disso, se sentirá em casa.

 

Casa de Repouso Viva Bem no bairro Pacaembu em São Paulo

A Casa de Repouso Viva Bem não tem cara de hotel e nem de hospital. Desde 2008 nosso residencial proporciona conforto, felicidade e qualidade de vida para as senhoras residentes. Nosso compromisso com a transparência é total: visitas livres e câmeras online 24 horas acessíveis pelos familiares.

A Casa é sua. Venha nos conhecer.

 

Esperamos o seu contato AQUI.

 

Até breve!

 

*Juliana Teixeira da Silva é diretora da Casa de Repouso Viva Bem

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp